Conheça as categorias do Think Work Flash Innovations

Serão 12 categorias para premiar os projetos mais inovadores do RH no Brasil

O que o RH tem feito de mais interessante e inovador no Brasil hoje? É isso que a Think Work quer descobrir e reconhecer com o prêmio Think Work Flash Innovations, com o apoio exclusivo da Flash Benefícios.

Para dar conta da variedade de desafios enfrentados hoje pelas empresas e pela área de gestão de pessoas, o Think Work Flash Innovations irá premiar as iniciativas mais inovadoras em 12 categorias, que vão e diversidade, carreira à digitalização do RH e desenvolvimento de jovens.

Juntas, elas darão um panorama de como os RHs do Brasil vêm se destacando e criando soluções para os maiores desafios do mercado. “As categorias misturam tanto temas tradicionais de gestão de pessoas, como diversidade e liderança, quanto temas mais recentes, como people analytics, employee experience e transformação digital”, afirma Tatiana Sendin, fundadora e CEO da Think Work.

Conheça um pouco sobre cada uma das categorias a seguir:

Diversidade

Inicialmente centrada principalmente na figura dos PCDs, hoje os programas de diversidade são voltados também para pessoas de diferentes idades, origens sociais, sexos e orientações sexuais, bem como para outros grupos sociais que possam demandar ações específicas para permitir uma maior aceitação e inclusão no mercado de trabalho.

Estas ações podem ser direcionadas às diferentes esferas de contato das pessoas com as organizações, sejam elas candidatas à vagas, pessoas que fazem parte do corpo de funcionários da empresa e até comunidades do seu entorno ou clientes da empresa. O mais importante, entretanto, é que a preocupação com a diversidade seja de fato genuína, extrapolando o simples discurso e tornando as ações adotadas sustentáveis e parte do dia a dia da empresa até um ponto em que as diferenças entre as pessoas passem a ser despercebidas.

Carreira

Mais do que ter apenas um grande volume de promoções, para que uma empresa se destaque no tema de carreira ela precisa ter práticas que apoiem seus funcionários no planejamento  da sua trajetória interna.

Um plano de carreira estruturado, práticas consistentes de sucessão e um processo de recrutamento interno que seja considerado justo pelos funcionários e que ofereça para aos preteridos ao longo do processo um retorno sobre os motivos de sua reprovação são peças fundamentais para uma boa percepção dos funcionários sobre as possibilidade de carreira oferecidas pela empresa.

Desenvolvimento

Além de garantir que os funcionários tenham o conhecimento técnico necessário para atuar nas diferentes funções,  o foco no desenvolvimento pode ser muito importante para a atração e manutenção de pessoas engajadas na organização, principalmente entre os mais jovens.

Mas desenhar uma estratégia de desenvolvimento que dê resultado nem sempre é fácil. Conseguir traduzir as competências essenciais para o negócio e as competências técnicas e comportamentais de cada cargo em objetivos e pilares que orientem as ações de educação corporativa é trabalho árduo e de constante atualização do RH. Mas vale a pena. A partir daí, torna-se muito mais fácil a gestão dos treinamentos e sua integração com aquilo que realmente faz sentido. 

Cultura Organizacional

A cultura organizacional de uma empresa é composta pelos comportamentos e valores considerados adequados pelos funcionários de uma empresa, balizados principalmente pelas ações de seus gestores e dirigentes. Ter uma cultura forte e bem definida ajuda a construir um grupo unido, fortalecendo o clima organizacional, o sentimento de pertencimento à organização e o alcance de melhores indicadores de produtividade e resultados financeiros. 

Mas, para isso, é extremamente importante que a empresa tenha clareza sobre os componentes que compõem hoje sua cultura organizacional, qual a cultura ideal na visão de seus dirigentes e o que precisa ser mudado para que ela possa ser alcançada. Só através de um mapeamento formal da cultura e de ações contínuas para promover e reforçar estes conceitos entre os funcionários é que ela poderá se tornar de fato uma aliada da gestão da organização e não se tornar um empecilho ou um conjunto de normas e regras que prejudiquem a construção de um bom ambiente de trabalho. 

Employee Experience

A origem do Employee Experience está ligada ao conceito de customer experience, muito usado na área de marketing para estudar a experiência dos clientes com a marca da empresa e com todo seu processo de compra e uso dos produtos. A ideia do Employee Experience é conseguir mapear todos os pontos de contato entre os funcionários e a empresa, afim de prover a eles a melhor experiência em todos estes momentos, seja antes mesmo do funcionário entrar na empresa durante o processo seletivo, em seu período de integração, durante todo o seu aprendizado e desenvolvimento na organização e até se preocupando com seu momento de desligamento da organização. 

Para que isso seja possível, as empresas interessadas em melhorar a experiência dos funcionários precisam mapear toda a jornada do funcionário na empresa e a partir daí avaliar o que pode ser feito para encantar os funcionários e garantir que exista uma coesão entre o que está sendo oferecido em cada um destes processos.

Liderança

Tornar-se gestor é um dos grandes objetivos profissionais almejados por muitas pessoas. Ter uma posição com maiores responsabilidades, poder imprimir seu estilo de gestão e alcançar um status profissional de maior prestígio são aspectos que encantam muitos funcionários e os motivam profissionalmente. 

Mas ser gestor vai muito além disto. Ser responsável pelos resultados da equipe, lidar com pessoas diferentes, garantir a correta distribuição de funções e tarefas e administrar conflitos na equipe são aspectos para os quais muitas vezes as pessoas não estão devidamente preparadas em sua primeira oportunidade como gestores. Por isso, preparar os funcionários que estão prestes a assumir estas posições – e também os que já chegaram lá – precisa ser uma das principais responsabilidades da área de RH e também dos gestores mais experientes da organização. 

People Analytics

O uso de dados na gestão de pessoas tem se tornado cada vez mais comum e necessário. Tomar decisões assertivas e justas, conhecer padrões de comportamento de funcionários e encontrar oportunidades de melhoria nos processos internos de RH são somente algumas das vantagens do uso das técnicas de people analytics.

Mas para aproveitar todas as vantagens associadas ao people analytics é essencial que a empresa consiga captar e organizar o maior volume de dados possível e, a partir daí, identificar como eles podem ser analisados em conjunto para fornecer insights importantes para a melhor gestão de pessoas e equipes. Por isso, conhecer as técnicas corretas de análise de dados, ter os recursos tecnológicos adequados e contratar profissionais capacitados são aspectos indispensáveis para que se tenha sucesso no seu uso. 

Remuneração e Benefícios

Uma das principais atribuições do RH é a administração da remuneração e dos benefícios concedidos aos funcionários. Garantir que a remuneração seja competitiva, que os pagamentos caiam em dia e que o pacote de benefícios concedido esteja de acordo com o orçamento da organização e com as necessidades dos funcionários são algumas das tarefas rotineiras desta área.

Para que isso seja possível, os responsáveis pela área precisam estar sempre atentos ao que vem acontecendo no mercado, seja para comparar o posicionamento da remuneração da empresa perante ao mercado ou para identificar novas tendências e práticas que surgem constantemente. Caso contrário, a manutenção de uma política remuneratória defasada perante aos concorrentes pode significar a perda de talentos importantes, principalmente em áreas em que a competição por profissionais é mais intensa.

Programas de desenvolvimento para jovens

Considerados por muitas empresas como a principal porta de entrada de talentos na organização, os programas de desenvolvimento para jovens atraem anualmente a atenção de milhares de jovens buscando suas primeiras experiências profissionais. 

Na competição por estes valiosos talentos, falar a mesma língua do público-alvo é essencial. Por isso, é comum que estes programas apresentem etapas e processos inovadores em seu formato e que, dependendo do resultado, são depois incorporados aos demais processos seletivos da organização. Além disso, para estar próximo dos candidatos e ser lembrado dentro do mar de opções de programas de estágio e trainee, muitas empresas optam por participar de eventos e feiras promovidas por escolas e universidades para apresentar sua marca aos jovens e atrair sua atenção para o processo seletivo da empresa.

Transformação digital do RH

Nos últimos anos, as iniciativas de mapeamento de processos para identificar oportunidades de digitalização se tornaram cada vez mais frequentes nas áreas de RH, tornando-se essencial para que se possa acompanhar a velocidade de transformação dos concorrentes e do mercado. Ao mesmo tempo, ao identificarem estas oportunidades, os empreendedores correm para desenvolver soluções que possam atender a estas necessidades de digitalização do RH. 

É desta velha lei de oferta e demanda que se tornaram cada vez mais comuns e necessárias as empresas de tecnologia associadas ao RH, as chamadas RH Techs. Elas surgem para atender diversas necessidades do RH, como digitalização de processos, facilitação da gestão de férias, benefícios, jornada de trabalho e principalmente auxiliar os processos de recrutamento e seleção. Em pesquisa da Think Work sobre o uso destas RH Techs, mais da metade das organizações (53%) afirmaram já ter utilizado os serviços destas empresas e muitas pretendem contratá-las nos próximos anos.

Saúde e qualidade de vida

A saúde e qualidade de vida já estão no radar das empresas como uma das principais preocupações da área de RH há algum tempo. Na última década, se tornaram cada vez mais frequentes as iniciativas voltadas para promover hábitos mais saudáveis entre os funcionários ou para oferecer maior flexibilidade para que os funcionários pudessem ajustar seus horários de início e término do trabalho, por exemplo. 

Mas a pandemia da COVID-19 veio chacoalhar esta categoria, tanto nos cuidados necessários para evitar possíveis contágios no ambiente de trabalho quanto na atenção à saúde mental dos funcionários neste momento de isolamento e incertezas. Além disso, os novos modelos de trabalho trouxeram uma série de vantagens e desvantagens associadas à saúde e à qualidade de vida dos funcionários. Por isso, novas práticas se tornaram necessárias nesta categoria para garantir melhor estrutura física e emocional para as pessoas que estão trabalhando tanto presencialmente quanto à distância.

Atração e seleção

Em um mundo cada vez mais competitivo em busca dos melhores talentos, ter as ferramentas certas para atrair potenciais colaboradores é essencial. Por isso, a área de employer branding tem se tornado cada vez mais importante nas empresas nos últimos anos. Promover a imagem da marca empregadora da empresa é um passo fundamental para conseguir atrair a atenção dos candidatos e tornar mais fácil a captação de novos profissionais. Além disso, escolher os canais certos para divulgar as vagas e tornar os anúncios das vagas atraentes e com todas as informações necessárias para que as pessoas possam decidir se a função lhes interessa ou não são também processos importantíssimos para que se possa ter sucesso no preenchimento das vagas abertas para recrutamento externo. 

Uma vez recebidas as candidaturas dos interessados, chega a hora da difícil missão de escolher o candidato ideal para a vaga. Neste momento as empresas se valem de testes diversos, entrevistas com profissionais de diferentes níveis e etapas cada vez mais criativas para tentar identificar quem deve ser o selecionado para o cargo. O importante no final é ter a certeza – e os resultados – de que se encontrou a pessoa certa para a vaga. E claro… dar o devido retorno àqueles que não foram selecionados.

Para saber mais sobre o prêmio Think Work Flash Innovations, participe do evento de lançamento na terça-feira, 31 de maio, às 17h (inscreva-se aqui).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.