Conheça o lado B da semana de 4 dias

Na Alter Agents, empresa de marketing americana, a semana de 4 dias não funcionou tão bem quanto esperado

Depois da pandemia de Covid-19, com um alto estresse dos funcionários, a Alter Agents, empresa de marketing com sede nos Estados Unidos, resolveu adotar uma semana de quatro dias de forma experimental, durante 10 semanas. Porém, as coisas não saíram exatamente como planejado.

Alguns funcionários ainda realizaram pequenas tarefas de trabalho em seu dia de folga, e outros respondiam e-mails, mesmo que a empresa tivesse deixado claro que não era necessário. No final do período de testes, a companhia realizou uma pesquisa que descobriu que a satisfação dos times havia caído e muitos relataram estar mais estressados e com dificuldade de alinhar as entregas com colegas. 

Isso porque, a cada semana, as equipes precisavam ficar tentando se atualizar – já que as pessoas da mesma equipe tiravam folgas em diferentes dias.

Em entrevista ao site Fast Company, Rebecca Brooks, a CEO da empresa, comentou sobre a situação provocada pelo teste da semana de 4 dias. “Tiveram muitos estressantes”, disse. “Os funcionários tinham questões pessoas acontecendo e tinha muito caos. Nós estamos tentando ajudá-los a proteger os próprios limites”.

Mas os esforços não foram o suficiente.

“No fim, dependia do tipo de personalidade de cada um”, disse Brooks. “Alguns colaboradores estavam permitindo que seus dias de folga de corrompessem, e outros eram bons em estabelecer limites, dizendo ‘Vou lidar com isso quando eu e voltar ou outra pessoa pode assumir isso'”. A inconsistência entre esses dois perfis – ambos considerados corretos por Brooks – acabou gerando confusão e frustrações, afetando a dinâmica entre os empregados, conta a CEO.

A lição que fica é: a semana de quatro dias é promissora, mas, para dar certo, as empresas precisam antes mapear seus processos, assim como suas tecnologias de colaboração e entender como eles poderiam funcionar nesse modelo – além de repensar suas estratégias de comunicação e colaboração.

A semana de quatro dias é promissora, mas, para dar certo, as empresas precisam antes mapear seus processos e entender como eles poderiam funcionar nesse modelo – além de repensar suas estratégias de comunicação e colaboração.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.