Empresa de games adota a licença menstrual

Benefício passou a ser concedido pela empresa como forma de aumentar a inclusão

A GOG, uma desenvolvedora de jogos eletrônicos e filmes com sede na Polônia, irá conceder uma licença menstrual às funcionárias. Segundo um comunicado da empresa, qualquer profissional que tenha dores excessivas ou outras complicações terá direito a folgas.

A empresa é a primeira do mercado de games a adotar benefícios do tipo. A ideia surgiu durante um encontro realizado entre o RH e as funcionárias da empresa e foi anunciada no LinkedIn da GOG, em um post afirmando que tempo livre remunerado extra seria oferecido às pessoas afetadas pela menstruação.

A estimativa, segundo um porta-voz disse ao site Axios, é que a decisão resulte em um dia extra por trimestre por funcionária. Mas a orientação é que elas se sintam livres para tirar mais tempo livre “sempre que dor menstrual ocorrer”.

“A licença menstrual incentiva a inclusão ao aceitar que há diferenças biológicas no ambiente de trabalho”, escreveu a empresa no LinkedIn. “Ao darmos dias livres extras para aqueles experimentando dor menstrual, nós reconhecemos que esses sintomas são reais”.

Para o Axios, Gabriela Sieminkowicz, gerente de cultura e comunicação da GOG, disse que a nova política está ainda em fase de testes e que ela seria avaliada ao longo de 2022. Depois disso, a CD Projekt Red, grupo do qual a GOG faz parte, também afirmou que vai adotar o benefício para todas as funcionárias da holding em breve.

Por anos, o mercado de games, assim como o de tecnologia ficou conhecido pelo machismo. Exemplos como o da GOG mostram que, aos poucos, esse cenário vem mudando e as mulheres ganhando condições mais igualitárias nessas empresas. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.