Maioria das empresas já conta com universidades corporativas

Mais de metade das empresas inscritas no Think Work Flash Innovations possui uma estrutura de desenvolvimento formal já estabelecida

Manter os funcionários constantemente atualizados, em um mundo em constante mudança, é um desafio para as organizações. Com o avanço tecnológico, cada vez mais os negócios, mercados, e até funções e rotina dos profissionais são alterados rapidamente. Com isso, o chamado upskilling e reskilling passa a ter função mais nobre. 

Segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), mais de um bilhão de empregos – um terço de toda oferta mundial – serão transformados pela tecnologia na próxima década.

Dados do Prêmio Think Work Flash Innovations mostram que as empresas participantes vêm se preparando para tal cenário. Mais da metade delas (51%), por exemplo, já conta com uma universidade corporativa estabelecida e formalizada. Enquanto 68% delas possuem ao menos com um portal de treinamentos online, somente 3% não têm nenhuma ação nesse sentido.

E não se trata apenas de treinamentos formais. Três quartos das companhias participantes nomeiam um tutor oficial para os recém contratados em seus primeiros meses no novo emprego. Mais da metade delas (56%) permite o job rotation, deixando que o funcionário trabalhe em várias áreas para absorver conhecimentos de setores diferentes.

A Cielo, vencedora do prêmio na categoria Desenvolvimento, optou por uma plataforma online que, além de oferecer cursos e treinamentos tradicionais, tem recursos de gamificação e de interação entre os usuários, possibilitando a troca de experiências e de aprendizados.

O sistema funciona com base em um diagnóstico inicial de cada profissional, que além do nível de conhecimento em cada área, também leva em conta as escolhas e interesses de carreira do trabalhador.

Karla Woods, superintendente de cultura da empresa, ressalta o quão importante foi encontrar a solução correta para a empreitada. “Pesquisamos muito as tecnologias disponíveis no mercado e optamos por um sistema que contasse com inteligência artificial. Assim, a plataforma poderia fazer um mapeamento de habilidades e perfis, personalizando a curadoria de conteúdo para cada colaborador”, conta.

A mudança trouxe resultados. Nos últimos três meses, a Cielo registrou um maior interesse pelo sistema de aprendizado, com um aumento de 70% em usuários ativos.

Mais detalhes sobre o projeto da Cielo e outras iniciativas inscritas no Prêmio Think Work Flash Innovations podem ser encontrados na Biblioteca de Cases, área exclusiva para assinantes.

Clique aqui para saber mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.