O poder da competitividade nas empresas

Segundo professor, empresas que cultivam clima amistoso de competitividade podem sair ganhando

Construir e manter uma boa amizade com um rival profissional pode não ser tarefa fácil, mas estudos apontam que isso pode ser bom para a carreira.

Segundo Christopher To, professor assistente de gestão de recursos humanos na Universidade Rutgers, quando interpretamos uma competição como uma ameaça, tendemos a sentir que não temos os recursos para ter sucesso e nos fixamos em todas as coisas ruins que podem acontecer se falharmos – como humilhação e perda de respeito.

Essa ansiedade tende a reduzir o desempenho físico e mental. Como resultado, em vez de funcionários mais motivados, o cenário é o oposto: pessoas desanimadas e inseguras quanto às suas chances de sucesso.

Já quando vemos uma situação apenas como “desafio”, nos sentimos mais confiantes e, em vez de pensar no fracasso, nos concentramos nas coisas a serem obtidas com nossos esforços. A resposta ao estresse resultante seria, assim, energizante em vez de incapacitante. Assim, ela aumentaria a produtividade e resultaria também em um melhor clima organizacional.

Para estimular os colaboradores, pode ser mais produtivo estabelecer um desafio a ser cumprido, portanto, do que inspirar um ambiente de competitividade e rivalidade. Assim, não só a motivação será maior como o bem-estar também melhora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.