Metodologia da pesquisa Think Work Market | Saúde mental no trabalho

Conheça como foi criada a metodologia da pesquisa de saúde mental, os temas avaliados e os resultados esperados

O tema da saúde mental tem sido um dos aspectos mais debatidos no mundo corporativo nos últimos dois anos. E não é para menos. Segundo dados da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, o número de concessões de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez ligadas a transtornos mentais e comportamentais foi de mais de 575 mil em 2020, o que representa um salto de 26% em relação a 2019. Já as doenças psicológicas, como depressão e ansiedade, representam cinco dos 20 principais motivos listados nas requisições dos benefícios junto ao INSS.

Os problemas relacionados à saúde mental são prejudiciais não só para os funcionários, mas também para as empresas. Segundo o guia de Políticas e Programas para Saúde Mental no Ambiente de Trabalho da Organização Mundial da Saúde (OMS), os casos de saúde mental dos funcionários têm reflexo direto no aumento do absenteísmo, na queda da produtividade e aumento de custos para a organização. Por isso, mesmo as empresas que ainda não entenderam a importância de colocar o bem-estar dos funcionários entre as principais preocupações da companhia deveriam começar a dar a devida atenção ao tema. 

A boa notícia é que muitas empresas têm entendido a sua importância. Na pesquisa Os Desafios do RH para 2022, realizada pela ThinkWork, o apoio aos funcionários no cuidado com a saúde mental ficou empatado na segunda posição entre os tópicos mais relevantes, aparecendo no radar de 31% das empresas pesquisadas. 

Que a pandemia foi um golpe no equilíbrio emocional de muitas pessoas, já sabemos. Mas qual o tamanho desse impacto? Quais atividades deixam de ser realizadas por problemas emocionais? E como o trabalho tem afetado a saúde mental dos profissionais? De que forma as empresas podem apoiar os funcionários?

 Esses são alguns dos aspectos que a Think Work quer decifrar com a pesquisa Saúde Mental no Trabalho.

Como participar da pesquisa

A pesquisa Think Work | Saúde Mental no Trabalho está aberta para a participação de qualquer profissional. As respostas são confidenciais e anônimas. E os resultados serão apresentados apenas de forma consolidada, sem a possibilidade de identificação dos participantes.

O prazo de resposta termina em 04 de fevereiro de 2022.

Para participar, acesse: https://bit.ly/3ndznsT 

O que será mensurado na pesquisa?

Evolução da saúde física e psicológica

Segundo o Guia de Políticas e Programas da OMS, problemas na saúde mental são resultados de uma complexa relação entre fatores biológicos, psicológicos, sociais e do ambiente em que a pessoa está inserida. Por isso, a pesquisa da Think Work irá mensurar a evolução de diversos aspectos ligados à saúde física (como dores, hábitos de atividade física e alimentar etc)  e psicológica (como ansiedade, mudanças no humor, irritação etc.), buscando entender se houve melhora, estabilidade ou piora nesses fatores, segundo a percepção de cada um. 

Mudanças na dinâmica de trabalho

Mais do que só entender os aspectos físicos e psicológicos, a pesquisa quer analisar a percepção das pessoas sobre a sua relação com elementos relacionados diretamente ao trabalho. No mesmo relatório já citado, a OMS destaca como fatores-chave para o equilíbrio emocional no trabalho os seguintes aspectos: 

  • Volume de trabalho – tanto excessivo quanto insuficiente;
  • Nível de participação e de controle no trabalho;
  • Atividades repetitivas ou pouco prazerosas;
  • Falta de reconhecimento no trabalho;
  • Desigualdades e percepção de justiça no trabalho;
  • Relações interpessoais;
  • Relação com a liderança
  • Conflito entre demandas do trabalho e de casa.  

Esses são alguns dos fatores avaliados nessa seção do questionário, na qual será medida se houve melhora, estabilidade ou piora em tais aspectos, segundo a percepção dos profissionais. 

Curva de estresse de Yerkes-Dodson

A curva de estresse, desenhada pelos psicólogos Robert Yerkes e John Dillingham Dodson, é um modelo que busca estabelecer uma relação entre o nível de estresse no trabalho e a performance dos funcionários. 

Sua proposta é de que os melhores níveis de performance são atingidos pelos funcionários ao serem submetidos a um nível de estresse intermediário. Por outro lado, trabalhos que ofereçam pouco ou muito estresse, acabam tendo um impacto negativo na produtividade das pessoas. 

Por isso, a Think Work irá medir o nível de estresse percebido pelos funcionários para que se possa entender se ele está adequado para um nível de performance ideal ou não. 

Impacto da saúde mental na disposição geral das pessoas

Diversos institutos de saúde americanos, como o New York Headache Center (NYHC), utilizam em formulários de avaliação o nível de indisposição de pacientes para realizar tarefas rotineiras, de acordo com sua condição física e emocional. Esse nível de indisposição reflete o quanto a condição emocional da pessoa está afetando a sua capacidade de realizar tarefas do dia a dia, seja no âmbito pessoal ou profissional.

Na pesquisa, a Think Work irá avaliar a indisposição das pessoas para participar de encontros sociais e realizar tarefas domésticas, além de medir o seu efeito sobre a produtividade no trabalho e o absenteísmo.  

Benefícios

Pesquisas recentes da Think Work, como A Volta aos Escritórios e O Trabalho Híbrido e Remoto nas Organizações no Brasil, apontaram que há um certo descompasso entre os benefícios oferecidos pelas empresas e os principais desejos das pessoas. Por isso, a pesquisa Saúde Mental no Trabalho irá mapear o pacote ideal de benefícios na visão dos funcionários, que poderão escolher entre uma vasta lista de benefícios ligados à saúde física, psicológica e mental os que mais lhe agradam e qual seria o peso de cada um em sua cesta de benefícios. 

Impacto do perfil da liderança

O perfil adotado pelos gestores é um aspecto apontado com certa frequência como um entrave na relação entre as pessoas e o seu trabalho. Não por acaso, a busca por líderes inspiradores e empáticos tem se tornado cada vez mais intensa nos últimos anos, assim como os treinamentos voltados para este tema.

Para aferir a percepção das pessoas sobre  o tema, os participantes deverão avaliar o perfil adotado pelos seus gestores a partir do modelo desenhado por Daniel Goleman e depois expandido pela Indeed.

O resultado será posteriormente cruzado com os demais dados da pesquisa, apontando a influência de cada perfil sobre o nível de estresse e disposição das pessoas nos diversos aspectos avaliados.

Resultados

Após a consolidação dos dados, todos os respondentes receberão um relatório com os principais resultados do estudo.

As empresas interessadas em aplicar uma versão personalizada da pesquisa, seja em toda a companhia seja em áreas específicas, devem entrar em contato com a equipe da Think Work pelo e-mail [email protected]

banner-pesquisa-saude-mental

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.