Pesquisa mapeia o modelo de trabalho híbrido e remoto nas organizações no Brasil

Think Work vai comparar as práticas das empresas que são referência em gestão de pessoas e ajudar a área de RH a planejar o retorno aos escritórios. Participe até 1 de outubro

O último um ano e meio foi marcado pela migração radical dos funcionários para o home office, devido a pandemia da covid-19. A mudança fez com que muitos profissionais e empresas vivessem a prática pela primeira vez. E, se para algumas pessoas a experiência foi negativa por variados motivos, para a maioria o trabalho remoto parece ter agradado.

Quase 70% dos respondentes da pesquisa A Volta aos Escritórios, realizada pela Think Work em parceria com a Appus, afirmam que gostariam de continuar atuando de casa de três (33%) a quatro (34%) vezes por semana. Mais do que isso: para 52% dos respondentes uma possível imposição da empresa para retornar ao trabalho totalmente presencial os faria pedir demissão imediatamente ou buscar recolocação em um futuro próximo.

O resultado reforça a importância de as empresas desenharem o retorno aos escritórios de maneira consciente e planejada. Mas qual é o melhor modelo? Tudo indica que o híbrido será o conceito seguido pela maioria das companhias, mas mesmo esse formato pode variar de organização para organização. E, caso a mistura de trabalho presencial e remoto venha para ficar, seria o caso de rever os benefícios? Ou de alterar o contrato firmado com os empregados?

A fim de responder essas perguntas e ajudar as empresas a se prepararem, a Think Work lança sua primeira pesquisa de benchmarking: Trabalho Híbrido e Remoto nas Empresas no Brasil. “O estudo tem como objetivo coletar informações sobre o que vem sendo adotado pelas organizações que são referência em gestão de pessoas e compartilhar esse conhecimento com os demais participantes”, afirma Matthias Wegener, especialista em clima organizacional responsável pela pesquisa na Think Work. Matthias já atuou como coordenador técnico das pesquisas que deram origem aos guias VOCÊ S/A – As Melhores Empresas para Trabalhar e As Melhores Empresas para Começar a Carreira, além do FIA/UOL – Lugares Incríveis para Trabalhar.

Como vai funcionar a pesquisa

A equipe da Think Work estruturou um questionário com 30 perguntas para mapear o estágio de maturidade das empresas no planejamento e na implantação do trabalho híbrido e remoto. O objetivo é levantar os principais desafios para implantar esse modelo, quais benefícios serão oferecidos aos funcionários e como será organizado o retorno ao ambiente físico da empresa, entre outros.

Os temas não foram definidos ao acaso, como explica Tatiana Sendin, jornalista e CEO da Think Work. “Formamos um grupo de estudo com alguns líderes de RH das principais empresas do país para tratar suas principais dúvidas sobre o assunto e trocar conhecimento de como alguns estavam preparando o modelo híbrido e remoto para o pós-pandemia.” Além disso, a comparação com os dados da pesquisa A Volta aos Escritórios, realizada em junho de 2021, indicou alguns pontos que ainda não haviam sido mapeados pelo RH, mas que já se apresentam como preocupações do público interno sobre a realidade que está por vir.

Segundo Matthias, tanto as organizações que estão em dúvida sobre como adotar o trabalho híbrido e/ou remoto, quanto aquelas que já definiram as regras do retorno podem responder a pesquisa. Os dados servirão de benchmarking para toda a comunidade de gestão de pessoas.

A participação é gratuita e os respondentes receberão um resumo dos principais resultados. Lembrando que as informações serão apresentadas de forma agrupada, coletiva e anônima (sem a identificação dos respondentes). O prazo para participar é 1 de outubro.

Clique para responder a pesquisa Think Work Analysis | Trabalho Híbrido e Remoto nas Empresas no Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *