Após pandemia, quase metade dos profissionais buscaria outro trabalho se a empresa acabasse com o home office

Pesquisa exclusiva da Think Work, realizada com 362 respondentes, avaliou como será a volta aos escritórios após um ano e meio de coronavírus

As organizações que obrigarem os funcionários a retornar aos escritórios, todos os dias por semana, correm o risco de perder talentos. Nove em cada dez profissionais afirmam ter interesse em manter algum grau de trabalho remoto quando a pandemia da covid-19 acabar.

Segundo a pesquisa A volta aos escritórios, realizada pela Think Work em parceria com a Appus, 6% dos profissionais disseram que pediram demissão imediatamente caso a companhia acabasse com as práticas de home office

E quase metade, mesmo acatando a determinação, buscaria outro emprego. Pouco mais de 45% aceitariam a decisão do patrão. 

Realizado entre maio e junho de 2021, o levantamento contou com 362 respostas válidas, e mostrou que o home office caiu nas graças da maioria dos profissionais: 65% deles responderam que o trabalho remoto melhorou a qualidade de vida. 

Porém, ainda falta apoio por parte das empresas em relação à divisão de gastos e bem-estar fora do escritório. Isso porque 50% dos respondentes afirmaram que, entre os benefícios que gostariam de receber, está uma ajuda de custo para arcar com despesas como internet e energia elétrica. Outros 48% também afirmaram que gostariam de um auxílio com produtos voltados para ergonomia.

Entre os participantes da pesquisa A Volta aos Escritórios, a maior parte tem entre 30 e 50 anos de idade, ocupa cargos de gestão e trabalha em companhias que empregam acima de 1.000 funcionários. Dois quintos são da área de recursos humanos.

Pesquisa A Volta aos Escritórios, de 2021

Para conhecer o resultado completo da pesquisa A Volta os Escritórios assine o Think Work Lab.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *