Mais de um quarto dos americanos quer mudar de emprego após a pandemia

Pesquisa da Prudential apontou que, para 72% daqueles que desejam pedir demissão, a pandemia os fez repensar suas habilidades

Mais de um quarto dos trabalhadores americanos planeja procurar um novo emprego quando a pandemia terminar. O principal motivo da mudança é uma queixa antiga: 80% estão insatisfeitos com seu crescimento de carreira. Os dados são de pesquisa da Prudential.

Entre aqueles que planejam deixar seus empregos, 72% dizem que a pandemia os fez repensar suas habilidades. E seis em cada dez empregados (59%) buscaram aperfeiçoamento e treinamento por conta própria desde o início da pandemia. 

Para a maioria dos funcionários (68%), o modelo híbrido de trabalho, com alguns dias no escritório e outros em home office, é o ideal. Entre aqueles que trabalharam remotamente durante a pandemia, 87% querem continuar em home office pelo menos um dia por semana. 

Dois em cada três trabalhadores remotos acreditam que as interações pessoais são importantes para o avanço de suas carreiras. No entanto, uma em cada três pessoas não gostaria de trabalhar para um empregador que exija trabalho presencial full time.

A pesquisa mostrou também que três quartos dos trabalhadores levam em consideração os benefícios na hora de ficar ou deixar um emprego. Isso se traduz em horários de trabalho mais flexíveis, oportunidades de mobilidade e opções de trabalho remoto.

Ao trabalhar remotamente, o benefício número 1 mais citado pelos trabalhadores (49%) é economizar dinheiro. Outras vantagens incluem economia de tempo (46%) e benefícios de saúde e bem-estar, como passar mais tempo com a família (40%), dormir mais (37%), cuidar melhor da saúde (34%) e reduzir os níveis de estresse (32%).

Nem tudo são flores, porém. Mais da metade dos trabalhadores remotos afirmaram ter tido menos tempo livre e cerca de metade deles se sente pressionada a ficar online o tempo todo – mais de um terço (35%) relatou trabalhar mais horas no geral.

Os gerentes também sentiram a responsabilidade aumentar no home office, principalmente para manter a cultura da empresa (observação de 52% deles). Quatro em cada 10 gerentes disseram, ainda, que a mentoria tem sido mais difícil.

Na avaliação dos trabalhadores, os empregadores podem apoiar o trabalho remoto adotando horários mais flexíveis (37%), oferecendo recursos para quem precisa montar um escritório em casa (34%) e subsidiando despesas do home office (33%).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *