54% dos trabalhadores dizem que a pandemia afetou o desejo de mudar de carreira, diz pesquisa

Pesquisa da consultoria McLean & Company apontou que a pandemia mexeu com os desejos de carreira dos profissionais

O mundo corporativo está prestes a viver a YOLO economy. Em inglês, YOLO é a sigla da expressão “você só vive uma vez”. Nas empresas, isso vai representar uma verdadeira debandada de profissionais que, após a pandemia, estão repensando seu trabalho e buscando novas posições.

Segundo um relatório da consultoria McLean & Company, que ouviu 1.000 profissionais globalmente, mais de um quarto dos entrevistados disseram que agora estão mais propensos a mudar de carreira ou de emprego.

Entre os que querem mudar radicalmente de carreira, 35% pretendem sair da indústria em que trabalham atualmente, 28% gostariam de continuar na mesma área em que atuam hoje, 15% desejam uma oportunidade dentro da própria empresa e 12% dizem que vão largar o emprego para abrir o próprio negócio.

A McLean & Company diz que o recado da pesquisa é um só: empresas não podem esperar a pandemia acabar para começar a prestar atenção na rotatividade. É preciso coletar dados, identificar áreas de oportunidade e realizar pesquisas periódicas do tipo pulse para medir o engajamento. Além disso, treinar os gerentes para desenvolver conversas sobre carreira com seus liderados e conseguir perceber a intenção dos funcionários em ficar na empresa – ou não.

Veja outras descobertas da pesquisa:

Arte | Think Work Lab

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *