Nos EUA, tem gente falsificando cartão de vacina contra a covid-19 para não se imunizar

Comprovantes de vacinação falsificados são vendidos na Amazon e no Telegram. O FBI alerta que o comércio é ilegal

Vacinas que alteram o DNA, instalam um chip ou transformam pessoas em jacarés. Durante o último ano, países lutaram contra duas pandemias: a do coronavírus e a da desinformação. E mesmo com um número maior de serviços exigindo o comprovante da vacinação para permitir a entrada de clientes, os negacionistas encontraram um jeito de ter acesso aos locais, sem estarem protegidos.

Eles estão adquirindo comprovantes falsos de vacina contra covid-19 por meio de grupos no Telegram ou em anúncios na Amazon e no Google Shopping. Golpistas vendem cartões de vacinação em branco ou já preenchidos com informações falsificadas. O volume de anúncios é tão grande que a Amazon incluiu a venda de cartões de vacinação na lista de produtos proibidos de serem comercializados.

Já o FBI teve que fazer um anúncio em março observando que é ilegal comprar ou vender cartões de vacinação falsos, de acordo com um código dos EUA que proíbe a criação, uso ou distribuição de documentos governamentais fasificados.

Como saber se alguém está vacinado ou não, já que o comprovante pode ser falso? Será que os empregadores terão de incluir cláusulas sobre quem apresentar cartões falsificados de vacina contra covid-19 nos seus manuais de ética? Já os marketplaces terão de endurecer o controle do que é anunciado.

Com informações do BuzzFeedNews.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *