Pesquisadores medem o impacto da maconha na produtividade

À medida que a legalização da cannabis para uso recreacional avança nos Estados Unidos, aumentam os questionamentos sobre como ela pode afetar os trabalhadores

À medida que a legalização da maconha para uso recreacional avança nos Estados Unidos, aumentam os questionamentos da sociedade. Conscientes das muitas questões, um grupo de pesquisadores analisou o impacto do consumo da erva nos trabalhadores de 40 a 62 anos de idade.

O estudo, co-assinado por Rahi Abouk e publicado no National Bureau of Economic Research, mostra que nos estados onde a maconha foi liberada para recreação houve um aumento na demanda, da erva ao mesmo tempo em que reduziram as prescrições de medicamentos para dor (o extrato da cannabis é usado para tratar diversos problemas de saúde).

Nesses mesmos estados, foi registrada queda nos acidentes de trabalho não-traumáticos e nas doenças que limitam a execução das tarefas, principalmente nos funcionáriosmais velhos. A análise não encontrou evidências de que a maconha comprometa a produtividade no emprego, assim como o uso recreacional da erva não leva ao absenteísmo.

A expectativa é que o mercado legal de marijuana cresça cerca de 18% até 2027.

Em um mundo afetado pela crise, ele pode significar geração de empregos e uma fonte de receita extra para os governos. Mas como será a política das empresas sobre seu uso?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.