Aplicativo vai pagar cirurgia para funcionários trans

Benefício surge para trazer mais inclusão para pessoas trans e facilitar o acesso à cirurgia de redesignação sexual

O Grindr, aplicativo de relacionamento voltado para a comunidade LGBTQIA+ passará a custear as cirurgias de redesignação sexual dos funcionários, reportou o site da Times. Até então, os profissionais que quisessem realizar a cirurgia tinham de conseguir várias cartas de psiquiatras, com histórico de saúde mental e recomendação para o procedimento. Agora, eles precisarão apenas assinar uma carta solicitando a cirurgia.

Amy Jie, diretora de produtos do Grindr, ajudou a criar os novos benefícios depois de sua experiência ao transicionar usando o plano de saúde da empresa onde trabalhava antes. Ela disse que a falta de provedores de saúde que conhecessem o tema e tivessem empatia por pacientes queer era o que mais impedia as pessoas de buscarem a cobertura do plano.

Ela mesma conta que teve que mandar cartas para quase 30 psiquiatras para conseguir a documentação exigida pelo seguro.

Segundo um relatório do Center for American Progress, três em cada dez pacientes transgêneros adiam ou evitam a operação por conta de discriminação dos médicos.

Não é a primeira vez que aplicativos de namoro saem na frente quando o assunto é diversidade. No ano passado, Tinder e Bumble também anunciaram que custeariam as despesas de funcionárias que quisessem abortar em meio à proibição no Texas.

Pelo visto, a era dos benefícios iguais para todos está acabando. Adotar benefícios específicos para grupos minorizados tem sido a forma de muitas empresas promoverem mais diversidade e inclusão.   

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.