EDP cria escola de eletricistas para profissionais trans

O projeto, que já garantiu 73% de efetivação aos participantes, foi finalista do prêmio Think Work Flash Innovations

Ainda em 2018, a EDP, companhia do setor elétrico de São Paulo, percebeu que pautas de diversidade e inclusão poderiam ter mais espaço dentro da empresa.

Assim, comissões internas que já existiam (Raça, Equidade de Gênero, LGBTQIAP+, entre outras), passaram a ter uma atuação expandida, com mais protagonismo para liderar projetos e iniciativas.

Depois de obter muito sucesso com ações como a criação da primeira turma da escola de eletricistas para mulheres, a EDP criou, em 2021, uma nova escola para formar profissionais nessa área, mas dessa vez, para pessoas trans.

“Em geral, esse público passa por muitas dificuldades, desde o processo de autoaceitação, falta de acolhimento de seu núcleo familiar e da sociedade, abandono dos estudos e falta de oportunidades formais no mercado de trabalho”, diz Glaucia da Costa Santos, gestora executiva de gestão de pessoas da EDP.

Para fazer o recrutamento e seleção dos contemplados para a primeira turma do projeto, a empresa contou com a contribuição da Integra Diversidade, co-fundada por Maite Schneider, uma das maiores referências em empregabilidade de pessoas trans do Brasil.

Com o Senai à frente da formação técnica dos profissionais, os primeiros 19 alunos passaram por 500 horas de aula e receberam um certificado de conclusão do curso.

Além de um módulo da formação voltado ao desenvolvimento de competências comportamentais, ministrado por Maite Schneider, a EDP também disponibilizou aos estudantes seu programa de assistência social, previdenciária e jurídica.

“As turmas foram marcadas por muitas histórias de superação. Havia pessoas que nunca tinham conseguido ingressar no mercado de trabalho formal”, conta Glaucia.

Dos 19 formados, houve um índice de 73% de contratação pela EDP ou por empresas parceiras. Todos os outros profissionais entraram para o banco de talentos da companhia, de modo a participarem de processos seletivos futuros.

Mais detalhes sobre o programa da EDP e outras iniciativas inscritas no Prêmio Think Work Flash Innovations podem ser encontrados na Biblioteca de Cases, área exclusiva para assinantes.
Clique aqui para saber mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.